quarta-feira, 13 de junho de 2007

Porque não choro

Certa vez estava na psicóloga e ela me perguntou porque as vezes quando estou falando parece que prendo o choro. Respondi que era inconsciente, que apesar de eu ter muitas emoções a flor da pele, ser sensível a uma rejeição, a uma fala mais agressiva, eu segurava o choro, e chorava sozinha.

Nunca havia me ligado o porquê disso, mas hoje tenho ainda essa mania, mas a consciência de que tento ser uma fortaleza, o que na verdade não sou. Desde pequena aprendi a me virar sozinha, tentar resolver meus problemas sozinha, nunca pude contar muito com meus pais, e tentava polpar minha madrinha, devido sua idade.

Então sempre segurei o choro, guardando mágoas, revoltas para chorar quando estivesse sozinha, sem ninguém ver ou perceber. Com essa atitude eu me tornava agressiva verbalmente, arrogante, muito impulsiva, a ponto de levar uma discussão as últimas conseqüências como boletins de ocorrência, justiça.

Nossa, quantas vezes fui chamada em delegacia, em juizado de causas especiais para resolver atitudes que eu havia tomado como ir até o trabalho de alguém para tomar satisfação, ou ficar ligando insistentemente.

Quando não dava para descontar em alguém eu consumia demasiadamente, gastava horrores com Internet, sapatos, bolsas, CDs, batom. Essa era uma compulsão que aliviava temporariamente a tensão de não querer chorar, desmontar na frente dos outros. Tinha que me manter forte, a fortaleza.

Hoje sei que isso não é preciso, também a questão da agressividade está quase nula, a compulsão passou., embora eu ainda me encontre com muitas dívidas ( por esse fator e por outros), mas chorar na frente de alguém ainda é pesadelo, não consigo.

Chorar na frente de alguém não representa uma desmoralização pra mim, mas fraqueza em não conseguir lidar com minhas emoções, quer sejam de emoção boa ou de depressão, raiva. Porém muita coisa consigo superar, rejeição de quem não merece meu respeito, ou amizade, ou um deboche.

Enfim já consigo distinguir as situações fantasiosas, que antes eram freqüentes, e as situações reais, e sofrer por aquelas que realmente existem, sofrer no sentido de chorar, para descarregar a emoção, e depois tentar resolver o problema sem impulso, com calma, sem alarmar a todos, etc.

3 comentários:

Patarata disse...

Tenho uma experiência semelhante a esse respeito.

; )

Tentar ser uma fortaleza todo o tempo...

http://pataratas.blogspot.com

Ingrid

nathalia disse...

socorro...
eu estou passando por uma série de problemas que me levam a crer que desde criança eu apresento os sintomas de Disturbio Bipolar mas nunca fui percebida nem por mim mesma nem pelos meus pais, até então, completamente ignorantes quanto a existência deste tipo de problema...
Sempre fui tomada por volúvel, hiperativa, fraca [por desistir de repente de coisas que pedi mto], entre outros termos, mas ng nunca pesou que poderia ser um problema psicológico...
Estou procurando ajuda para saber se realmente tenho isso e o q faço neste caso...
Socorro, por favor, me ajudem

meu email é lia_mcleaff@hotmail.com
Caso saibam algo que me possa ajudar, por favor, entrem em contato.
Obrigado...

tamires disse...

Estou sem motivação de vida sem animo pra viver quando fico sozinha nem tenho vontade de fazer nada mais quando estou com meus amigos parece que crio uma capa e fico feliz mais quando eles vão embora volta tudo novamente não tenho vontade de fazer nada