quarta-feira, 13 de junho de 2007

Medo II

Bom, já falei sobre minha relação com minha família, mas tenho outro medo quanto a eles. Não, não é o enfrentamento de mudar de profissão, de anunciar que estou saindo de casa, ou apresentar um novo namorado.

Pode parecer estranho o que vou dizer, mas tenho muito medo de perdê-los por morte de um ou dos dois, a priori são as únicas pessoas que ainda tenho perto de mim. Minha irmã mora em outra cidade, é casada tem a família dela, eu não tenho ninguém além deles, nem amigos.

Muitos me perguntam por que eu sendo independente financeiramente dos meus pais, eu não moro sozinha, ou divido um apartamento com alguém, eu respondo, não só o fato de me sentir mais sozinha ainda, mas a dependência que eles têm de mim também.

De certa forma eu ajudo nas despesas de casa, ajudo com as novas tecnologias ( por exemplo celular), alerto sobre algumas coisas ( como esses golpes de seqüestro por telefone). Ah, alguém pode virar e dizer que posso fazer isso a distância, mas meu pai não agüentaria com as despesas sozinho, além do mais me preocupo com a saúde deles.

Meu pai é hipertenso, diabético, caminha as vezes, mas tem mania de médicos, exames e remédio, Minha mãe tem enfisema pulmonar, problemas de angiologia ( já teve trombose duas vezes nas pernas e em um braço), não tem déficit de locomoção, mas as varizes dela doem muito, ela não pára, sempre aparece roxos enormes pelas pernas que “queimam”. Além disso cuida da minha avó de 81 anos e mais de 80 kg, que não aceita que ninguém além de minha mãe a leve ao banheiro e dê banho, a não ser minhas outras tias, filhas dela, que nem querem saber dela, visita de vez enquando, pois ela dá trabalho pois já fraturou o fêmur ( tem dificuldade para deambular) e não enxerga mais devido ao diabetes.

Minha mãe está cada dia bebendo mais, e fumando mais ainda, e nem sequer quer ouvir falar em médico, remédios, nunca tomou nenhuma medicação prescrita, prefere a cerveja, esse vício se tornou já um alcoolismo, não passa um dia sem beber e nos primeiros goles já fica alterada, nervosa, agressiva verbalmente, nos humilha, nos provoca.

Isso me irrita, me causa nojo, ânsia, vontade de sumir, como alguém pode se deixar assim. tem dias que nem banho toma, acredito que seja por isso que meu pai procure outras na rua, quem gosta de deitar ao lado de uma mulher cheirando a cigarro e bebida?

Mesmo assim, não consigo encarar a morte dos meus pais, já perdi alguém muito querido, que deixou uma lacuna aberta na minha vida – minha amada madrinha. Perdi meu colo, meus beijos, minhas risadas, meus carinhos.

Só de escrever a emoção, a angústia da perda é enorme, as lágrimas chegam a cair, é uma mistura de ansiedade, saudade e medo, muito medo, pois sei que a idade dos meus pais estão avançando, e eles ficando cada vez mais vulneráveis.

Já perdi filhos, já perdi amores, agora o que falta perder?

2 comentários:

André Felipe disse...

Admiro você. Ao contrário de muitos, se importa com as pessoas.

Anônimo disse...

LILIA VOCÊ NUNCA COGITOU QUE SUA MÃE POSSA SER BIPOLAR?
O COMPORTAMENTO DELA ME PARECE TÍPICO DE QUEM ESTÁ SOFRENDO DE DEPRESSAO PROFUNDA. DÁ UMA FORÇA PRA ELA, AO INVÉS DE FICAR PROTEGENDO SEU PAI QUE FICA PROCURANDO OUTRAS NA RUA.