terça-feira, 12 de junho de 2007

Apresentação

Me apresentar? Bem isso é muito fácil para mim, mas talvez para quem tentar me descrever seja impossível.

Me chamam de Lilian, mas sempre me refiro a minha pessoa de Eu, talvez um pouco egoísta, mas quem de nós não é egoísta ao menos uma vez

Sou uma incógnita sem expressão, talvez o traço do risco de giz no asfalto após o temporal, ou quem sabe a cor no meio do escuro.

Sou a imensidão do mar e o nada do vácuo, mas até o vácuo é algo. Sou uma errante sem propósito, mas nem todo errante é sem propósito.

Não mudo meu jeito por nada nem por ninguém, vivo conforme minha concepção. Sou chamada por alguns de covarde, por não ousar, mas aplaudida por outros tantos quando discurso.

Sou doce, mas a maior parte do tempo me faço de azeda. Sou atenta, mas me desligo com facilidade.

Me interesso por tantas coisas, mas a física quântica sempre me seduziu. trilhei caminhos brancos silênciosos, ao som do toc toc do salto alto e caí num abismo de uma janela de um sobrado.

Sou alguém que pensa, que atrai pensamentos e que os doa também.

Você me dá uma exclamação e eu te devolvo a interrogação.

sou alguém que vive além do seu tempo, além dos seu limites, mas meu limite é a morte.

(definição feita num fórum de discussão em filosofia)

Um comentário:

amie disse...

bons discursos agradam e por pouco tempo
boas atitudes preenchem e por um bom tempo
tenho t.b. e sei como é aquela coisa de termos de sentirmos especiais em algo, e como pouco se faz, muito se pensa que poderia fazer